domingo, 26 de fevereiro de 2006

chove

É arenoso sabe. Ouvir isso tudo desse jeito. Corpo esquálido, olhar esquivo. E aquela voz rouca, lírica, aguda, sustentando a melodia triste. Encantadora, por isso triste. Pra melhorar tudo e sublinhar a delícia desse dia, chove forte. Pingos gelados que chegaram sem avisar. Nada de nuvens negras arrastando-se o dia todo. Só a chuva. Assim, sozinha. Intensa. Forte o suficiente pra bater portas e janelas.

Despenca o dia todo.

4 comentários:

marina.p disse...

ai, chuva...

clarissa disse...

'...mas como mantê-las abertas/se em certos dias o vento quer derrubar tudo'

Ju disse...

sempre haverá dias cinzas.

Ju disse...

que lindo o mimi