sexta-feira, 1 de dezembro de 2006

que bom, tenho leitores

Adoro isso.

Adoro quando escrevem comentários para os posts. E fazia tempo que não me divertia tanto. Tem de tudo.

misteriosos: "sou tua consciência...volte a escrever";

queridos: "lindo texto, um amor";

xingamento: "falar mal do caetano é coisa de hippie e jornalista enrustido".

Eu acho lindo. E nem é tanto pela máxima: "falem mal, mas falem de mim". Acho lindo porque tem gente lendo. E se continuam lendo e escrevendo comentários é porque um dia desses vou me tornar leitura fundamental. Aí fudeu. Aí o mundo acaba.

Mas leiam. Não desistam.

Sobre o Caetano, me divirto muito. Acho ótimo que ele exista, senão essa MPB com cara de world music fica sem graça - muito sem graça. Primeiro, não sou hippi, nunca usei sandália de couro, muito menos acho a Tropicália um movimento estético que abriu fronteiras. Quem abriu fronteiras foi o maestro Duprat. Sem ele a Tropicália não durava uma semana.

Numa entrevista recente, Chico César disse que depois de três décadas depois o movimento perdeu seu impacto:
– Hoje, Caetano Veloso é um popstar. Gilberto Gil é apenas um grande artista. E Gal Costa virou uma senhora que se dedica a cantar bossa nova. Para os artistas mais novos, os tropicalistas viraram obstáculos para que uma nova geração surgisse ainda nos anos 80. Eles projetam uma sombra que chega a ser constrangedora hoje – alfinetou o paraibano.

E mais, Tom Zé e Torquato se foderam com essa Máfia do Dendê (Gil, Caetano, Betânia e Gal). Ah, vai dizer que nunca ouviu falar da Máfia do Dendê? Então clica aqui e vocês terãoi uma breve idéia do que se trata.

O repórter investigativo Claudio Tonolli passou parte da vida pesquisando as ações desse grupo, incluindo o Caetano.

Mas se falar mal do Caetano fosse ranço de toda a classe de jornalistas, Caetano teria voltado para Londres. Sem lenço nem documento. Mas isso é só um filme de ficção, porque 96,9% da classe de jornalistas AMA e VENERA a caetanada e esse desbunde hippie - mesmo em 2006.

inté.

6 comentários:

Lucas disse...

é isso aí. foda-se o caetano.

Mauricio disse...

Ah, vão á merda. Eu amo o caetano. Ele vai perdurar pra sempre.
Sou hippie, sempre serei e não tenho vergonha disso.
Caetano é um mago e vive anos luzes a frente de todos nós. Comprei meu ingresso faz dias já.

Pavão Misterioso disse...

O Tonolli é massa, jornalismo investigativo. Mas me conta, Marcelo, ele é sócio dos Postos Tonolli de Caxias? :~)

Antes a Máfia do Dendê do que a Máfia da Lancheria do Parque!! Ahhhh Muleke!!!

Mugnolini disse...

Tem lido o Tonolli na Rolling Stone Brazil?

moises disse...

meu, vi tom ze no jo soares outro dia. respeito pra caralho o artista/ inovador e referencia para, muitos artistas no mundo/ mas foda, lembrei de raulzito. ele nao precisava dessa. eh a vida com gosto de mufa. =]

Márcio disse...

Hippie e Hype são 2 coisas, ok?

Oswaldo Aranha é com V.

E a referência da Rolling Stone Brasil (uh! com Gisele na capa!) é a big referência da galera cult d'O Piolheiro de Cassias.

É, Caetano sucita paixões.