segunda-feira, 6 de fevereiro de 2006

Samba da bênção

Não tem desculpa. Quem tem o mínimo interesse pela cultura brasileira não poder deixar de assistir Vinicius, documentário dirigido por Miguel Faria Jr., em cartaz no GNC Cinemas. Não é só porque o Vinicius de Moraes é considerado um dos grandes poetas e letristas brazucas e todo aquele blá-blá-blá. Mas simplesmente porque Vinicius viveu na tênue linha entre erudito e popular; boêmia e diplomacia. E para driblar o tédio se lançava sem pudor a amores avassaladores.
Miguel Faria Jr. conviveu com Vinicius. Primeiro, conhecia-o da boemia, e segundo, porque aos 22 anos casou-se com Susana de Moraes, filha do poeta. Faria Jr. escolheu bem os personagens para o documentário. Ferreira Gullar (um dos grandes poetas brasileiros ainda vivos), Caetano, Gilberto Gil e Maria Bethânia (clã-Tropicalista), Tonia Carrero (só amiga mesmo), Tom Jobim e Baden Powell (dois dos principais parceiros musicais, o primeiro na onda da bossa, o segundo, dos afro-sambas).
Os depoimentos são entrecortados por participações especiais de gente como Adriana Calcanhoto (Eu Sei Que Vou te Amar), Zeca Pagodinho (Pra que chorar), Mônica Salmaso (Insensatez) e Mariana de Moraes (Coisa mais Linda), entre outros. Mas causa um certo desconforto na platéia uma versão rap do texto Blues para Emmett, escrito em tributo ao jovem negro assassinado nos anos 50, nos Estados Unidos. O retrato do poeta só não é completo por não conter depoimento algum das nove ex-mulheres de Vinicius.
De resto, resta a bênção do "capitão do mato, poeta e diplomata, o branco mais preto do Brasil". Da memória não sai tão fácil o dueto com Tom Jobim, numa imagem raríssima, ambos de cara cheia de uísque; muito menos aquele olhar triste, cansado, do velho poeta deitado no sofá, dizendo que não se sentia muito bem. A mão que acaricia seu rosto deseja estancar o pranto que viria no adeus, em 1980. No entanto, quase 15 anos antes já versava: "A bênção, que eu vou partir/ Eu vou ter que dizer adeus". Saravá, Vinicius. Saravá!

Texto de amanhã no jornal Pioneiro.

7 comentários:

Mikage Aya disse...

Aquela sensação(bem conhecida por mim)de que "o filme pode sair de cartaz a qualquer momento" está me perseguindo.
Preciso assistir!

Pubby disse...

Olha só... Li, nos tempos de universidade um livro que tem na biblioteca da ucs falando do Tom Jobim... (que putz me esqueci o nome do livro, tenho esse problema sério de falta de memória para as coisas)... Mas gravei o conteúdo!!! Fala muito sobre o Vinícius... E na boa... Me deu vontade de ser eles quando eu li... Que espetáculo... Que vida mais cheia de arte!!! Me tocou de verdade... Fora isso obriguei minha mãe a comprar um dvd que era de um programa que foi gravado para uma tv italiana onde tinha Vinicius... Miuxa (me perdoe se escrevi errado)... Dorival... E mais um pessoal... Tem uma hora que é hilária!!! O cara era para lá de inteligente... Começa a falar em inglês... Para, do nada, e se pergunta... "Por que estou falando em inglês???" Volta a falar em italiano... É lindo... Desculpa falar tanto... Mas Tom Jobim (pelo que li no livro) não só tinha uma obra artística maravilhosa... Mas era uma pessoa iluminada... E o Vinícius idem!!!

Mugnolini disse...

Liguei para o GNC ontem e eles não sabem se o filme fica uma semana a mais ou não. Assim qeu eu souber informo no blog.
Mas se puderem, não esperem....

clarissa disse...

amor demais,o espírito vagabundo...
Vinicius disse adeus pra ficar e ficou.

Augusto Nesi disse...

Assisti, ontem...
o filme é bom, mas só "bom"...´
faltou alguns banhos de banheira ( umas das coisas que Vinicius mais gostava ), faltou também seu contato assíduo com Neruda ( que não foi citado )...com aquele "rol" de personalidaes dificilmente o filme seria ruim...mas confesso que quem realmente se revelou neste filme foi "Mariana Moraes"...neta do Poeta.

Mugnolini disse...

Sobre as mulheres do filme. Teve gente espantado por ver a Mônica Salmasso cantando duas vezes durante o filme.

Nada é por acaso, é que ela é a nova musa de Susana Moraes, filha do Vinicius e ex-mulher do Miguel Faria Jr. Quando digo 'nova musa' é na cama também.

Ju disse...

fui assistir ontem. acho que eles encheram de coisa e deixaram o meio pro final meio vazio.

mas curti.